Você pensa em trabalhar com esportes, mas ainda não sabe exatamente como fazer isso? Não conhece direito o mercado? Já ouviu falar alguma coisa a respeito de gestão esportiva, mas não sabe muito sobre esse ramo de atuação?

Se essas dúvidas rondam a sua cabeça e você não tem muita certeza de qual caminho tomar, fique tranquilo. No artigo de hoje vamos te explicar algumas coisas para que você entenda melhor o ramo e descubra como pode direcionar sua carreira nos esportes.

Confira!

O que é gestão esportiva

Muito confundido com o Marketing Esportivo, a Gestão Esportiva corresponde a um espectro de atuação bem mais amplo. A gestão abrange atividades como planejamento, organização, controle, liderança, tomada de decisões e uma atuação voltada para a manutenção e o desenvolvimento do esporte em qualquer formato ou instituição.

Embora alguns autores discutam e discordem entre si acerca do conceito de gestão e administração, o fato é que essa é uma atividade profissional que objetiva promover e otimizar a realização de um esporte.

Dessa maneira, é preciso deixar claro que o gestor esportivo terá preocupações envolvendo assuntos financeiros — desde os mais triviais até a captação e a manutenção de patrocínio —, gestão de pessoas, estruturas do clube e até mesmo temas ligados ao direito esportivo e à motivação dos atletas.

Por estar envolvido diretamente com as atividades físicas, há, ainda, uma confusão acerca da formação do profissional que trabalha na área. Por falta de informações corretas e, às vezes, até mesmo pela escassez de pessoas formadas em gestão esportiva, algumas empresas e instituições buscam profissionais formados em educação física para o cargo.

No entanto, a questão é que o gestor esportivo é muito mais um administrador do que um educador físico. De qualquer maneira, existem escopos de trabalhos bem definidos e o mercado já mostra que tem começado a entender isso.

Área de atuação

Antigamente mais ancorada em atividades relacionadas ao futebol, hoje a gestão esportiva tem conseguido oferecer aos profissionais vagas em outras áreas e também em outros esportes. Ele agora pode atuar em clubes, ginásios, associações, federações, centros de lazer e recreação e até mesmo em estádios públicos.

O profissional em gestão esportiva pode, ainda, desenvolver sua carreira em centros culturais e em jogos motivacionais para o ramo empresarial. Com uma vasta chance de aplicar seus conhecimentos, é importante que o profissional da área de gestão esportiva entenda que existem duas grandes áreas para o desenvolvimento do seu trabalho.

Uma delas é em instituições focadas especificamente no esporte como, por exemplo, um clube, um time ou até mesmo uma academia. Nesse caso, estamos falando de uma empresa ou associação que tenha como atividade principal a prática do esporte. Essas instituições vivem do e para o esporte.

A segunda opção é buscar empresas ou outros tipos de organizações que, embora não tenham seu foco voltado direto para o esporte, o tenham dentro de suas atividades fins como uma necessidade interna.

É o caso, por exemplo, de uma secretaria esportiva em uma prefeitura. O foco da administração municipal é gerir a cidade como um todo e o esporte é só uma parte do trabalho. Outros exemplos são as indústrias e os grandes grupos empresariais que promovem ações esportivas e de lazer para os seus funcionários.

A organização de torneios, confraternizações ou provas — como corridas, lutas, e outras modalidades de competições esportivas — são exemplos de como o gestor esportivo pode atuar nessa área.

Mercado de trabalho

A profissão de gestor esportivo ainda não é muito bem conhecida e bem explorada. No entanto, o mercado de gestão esportiva está em processo de expansão.

Com boas oportunidades de trabalho, o profissional que sai dos cursos de gestão esportiva ainda encontra vagas ocupadas pelo pessoal da educação física — mas isso não é necessariamente uma notícia ruim. Acontece que o foco dos cursos é bem diferente e, aos poucos, o mercado vai começar a entender isso melhor.

Existem oportunidades nas esferas particulares e públicas. Além disso, quem quiser se aprofundar e estudar melhor o assunto encontra espaço para desenvolver a docência ou atuar no ramo de pesquisa e desenvolvimento.

Além dos incentivos encontrados em políticas públicas estaduais e municipais, de uma maneira geral existe amparo ao segmento graças à Lei de Incentivo ao Esporte. Sendo assim, os ventos sopram a favor desse ramo de atividade que, embora já possua alguma divulgação, ainda oferece um bom espaço para o crescimento do profissional.

Disciplinas do curso de gestão esportiva

Mesmo que variem um pouco entre instituições — de acordo com seus respectivos focos de atuação — e que e sejam ofertados em formatos desde o técnico até a pós-graduação, os cursos de gestão esportiva englobam as mesmas matérias.

Normalmente, elas giram em torno de alguns assuntos em comum:

  • administração básica;

  • planejamento e controle;

  • matemática;

  • contabilidade;

  • análise econômica e financeira;

  • regimes de juros e séries de pagamentos;

  • gestão de fluxo de caixa;

  • orçamento;

  • ética esportiva;

  • liderança estratégica;

  • motivação e gestão de pessoas;

  • desenvolvimento e formação de equipes;

  • gestão de competências;

  • formas de remuneração;

  • recrutamento e seleção;

  • avaliação de desempenho;

  • desenvolvimento e capacitação;

  • gestão de investimentos e projetos;

  • estudo de ambientes interno e externo;

  • desenvolvimento de plano de ação;

  • estratégia empresarial;

  • desenvolvimento de plano de negócios;

  • marketing esportivo;

  • captação de recursos e patrocínio;

  • administração de unidades esportivas;

  • desenvolvimento de eventos esportivos;

  • comercialização de projetos e eventos esportivos.

Como você percebeu, é bastante amplo o estudo e igualmente variado o mercado de atuação para o profissional formado em gestão esportiva.

Além de todos os possíveis cargos e funções que já foram listados aqui, é importante lembrar que, assim como em todas as outras áreas profissionais, o gestor esportivo também poderá se dedicar ao trabalho como consultor.

Para isso, ele precisará de uma boa formação e de uma experiência consistente, o que é possível adquirir com o tempo e a dedicação necessária. Por fim, vale dizer que, qualquer que seja o seu foco de atuação nesse mercado, ainda há espaço!

Se você realmente está interessado em seguir nesse caminho e deseja tirar algumas dúvidas sobre o assunto, fique à vontade para falar conosco. Teremos todo o prazer em explicar um pouco mais sobre o que é trabalhar com a gestão esportiva.

01