Esforçado, detalhista e estudioso são algumas das várias qualidades do atual técnico da Seleção Brasileira de Futebol, Tite. Em poucos jogos, ele fez com que a Seleção emplacasse uma série de vitórias importantes tanto que ela já está com a vaga assegurada para a Copa do Mundo da Rússia, em 2018.

Tite é um exemplo de que estudar é parte do caminho para chegar às vitórias. Afinal, conhecer os pontos fortes e fracos do adversário requer bastante observação.

Além disso, neutralizar as potencialidades e aproveitar as fraquezas dos rivais exige bastante inteligência e sensibilidade aspectos fundamentais para qualquer profissional que deseja se destacar atualmente, especialmente no esporte.

Quer entender melhor sobre como o estudo fez de Tite um treinador de sucesso? O post de hoje aborda esse assunto. Confira!

Leitura em busca do conhecimento

Ficar acomodado é um erro fatal para quem deseja continuar no topo em qualquer segmento profissional. Pensando nisso, Tite aproveitou o período de um ano longe dos gramados, após deixar o Corinthians em 2013, para estudar bastante as principais tendências do futebol.

Ele chegou a ler 12 livros em três idiomas diferentes (português, espanhol e italiano) e a medida foi essencial para fortalecer o seu conhecimento sobre a tática assunto abordado em cinco publicações.

O técnico procura explorar ao máximo o conteúdo das obras, analisando, ainda, algumas fotos e desenhos dos treinamentos. A intenção é adaptar o que é proposto nos livros para os treinamentos e os jogos. Afinal, ampliar alternativas para surpreender os adversários é uma estratégia muito empregada atualmente.

Conhecer a trajetória de grandes nomes do esporte desperta o interesse do comandante da Seleção Brasileira. Tanto que ele devorou os seguintes títulos:

  • “Onze Anéis”, de Phil Jackson (ex-treinador NBA liga norte-americana de basquete);

  • “Los 11 poderes del líder”, de Jorge Valdano (campeão mundial de futebol pela Argentina, em 1986);

  • “El efecto Simeone La motivación como estrategia”, de Diego Simeone (treinador argentino do Atlético de Madrid da Espanha)

  • “Palavra de Entrenador”, escrito por Orfeo Suárez.

As leituras tiveram como objetivo unir dois aspectos muito importantes no futebol: tática e motivação. Inegavelmente, engajar os jogadores a cumprir os papéis determinados contribui bastante para que os resultados sejam expressivos dentro de campo.

Observações voltadas para novas tendências

A Copa do Mundo de 2014, disputada no Brasil, foi um grande laboratório para o técnico. Ele assistiu a todos os 64 jogos, alguns até no estádio. O interesse em analisar as novas tendências do futebol era tanto que ele chegou a recusar convites de diversas emissoras de rádio e televisão para comentar as partidas.

Ou seja, o foco era realmente o estudo. Em Porto Alegre, o treinador foi visto com um caderninho, no qual anotava os detalhes dos jogos. Ele ficou encantado pelo esquema 4-1-4-1, utilizado pela França e pela Alemanha seleção que conquistou o tetracampeonato mundial.

Essa formação tática se diferencia por ter um volante resguardando a defesa e por meias habilidosos. Tite resolveu estudar profundamente o esquema para utilizá-lo com a meta de melhorar o desempenho das equipes.

Viagens para troca de ideias

A leitura de livros sobre táticas e a observação de partidas de alto nível contribuíram para aperfeiçoar a visão de jogo do treinador. Contudo, ele percebeu que era essencial também conversar com técnicos renomados sobre o comportamento da equipe e de outros fatores que podem decidir um jogo.

Ao lado do auxiliar Cléber Xavier, Tite foi para Buenos Aires assistir à final da Libertadores da América de 2014 entre San Lorenzo (Argentina) e Nacional (Paraguai). Ele aproveitou a oportunidade para visitar Carlo Bianchi, treinador argentino que venceu quatro vezes a principal competição de clubes na América do Sul uma vez com o Vélez Sarsfield (ARG) e três vezes com o Boca Juniors (ARG).

No encontro, eles conversaram sobre a trajetória de Bianchi, sua metodologia de trabalho e as modalidades de treinos praticadas na Argentina e no Brasil. Para Tite, entender como os rivais estão nos aspectos físico, mental e tático ajuda a aprimorar as ações desenvolvidas com os jogadores.

Em outubro de 2014, o atual técnico da Seleção Brasileira visitou o Real Madrid, que era treinado pelo italiano Carlo Ancelotti. Na oportunidade, ele aproveitou para conversar sobre o esquema 4-1-4-1 utilizado pela equipe espanhola.

Tite gosta muito dessa formação tática e acredita que a troca de ideias com técnicos consagrados é uma maneira de adquirir mais experiência e ter mais informações sobre como conduzir uma equipe em momentos decisivos.

Para aprimorar os conhecimentos, o treinador brasileiro foi ao Arsenal, clube da primeira divisão inglesa. Por lá ele conheceu o Departamento de Tecnologia do clube, responsável pelo uso de softwares para analisar o comportamento dos jogadores em treinos e nas partidas.

Isso inspirou o técnico a gravar com mais frequência os jogos e os treinamentos do seu time e dos adversários, o que faz com que ele entenda, com mais profundidade, a movimentação e as linhas de posicionamento dos jogadores. Com essas informações, fica mais fácil armar a equipe de acordo com as características do adversário.   

Trajetória vitoriosa de Tite

No dia 25 de maio de 1961, nascia Adenor Leonardo Bachi, o Tite, na comunidade São Braz, distrito de Caxias do Sul (RS). Nos tempos de escola já era possível perceber o talento do menino para o esporte. Ele se destacava em várias modalidades, mas tinha como sonho ser jogador de futebol.

Com a ajuda de Luiz Felipe Scolari, foi para o Caxias (RS) em 1978, onde atuou como volante. Como jogador também teve passagens pelo Esportivo (RS), Portuguesa (SP) e Guarani (SP). Neste último, foi vice-campeão brasileiro em 1986 e vice-campeão paulista em 1988.

Com apenas 28 anos, foi obrigado a encerrar a carreira de jogador por causa de várias lesões nos joelhos. Mesmo assim, não se afastou do futebol. Ele se formou em Educação Física pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas) e iniciou a carreira de treinador dirigindo o Guarany de Garibaldi (RS), em 1990.

Passou por outros times do interior do Rio Grande do Sul e começou a ganhar projeção nacional com a conquista do estadual gaúcho de 2000 pelo Caxias. A partir dessa façanha, Tite colecionou outros títulos. Dentre os mais importantes estão:

  • a Copa do Brasil pelo Grêmio em 2001;

  • o Campeonato Brasileiro pelo Corinthians em 2011;

  • a Libertadores da América pelo Corinthians em 2011;

  • o Mundial Interclubes pelo Corinthians em 2012;

  • o Campeonato Paulista e a Recopa Sul Americana pelo Corinthians em 2013;

  • e o Campeonato Brasileiro pelo Corinthians em 2015.

O sucesso levou o estudioso treinador ao comando da Seleção Brasileira em 2016. Nos nove primeiros jogos, o aproveitamento é de 100%. A performance levou o técnico a ser o primeiro a ganhar oito partidas consecutivas na história das eliminatórias Sul-Americanas.

É inegável que a busca pelo conhecimento fez de Tite um dos melhores técnicos do mundo, concorda? Se você é fã do treinador, não deixe de compartilhar este artigo nas suas redes sociais. Sempre vale a pena disseminar o conhecimento!