Uma novidade publicada recentemente pela CBF está mudando a forma como os clubes se organizam e se gerenciam. O regulamento de licença de clubes (Resolução 01/2017) surgiu como um conjunto de padrões necessários para a existência de um sistema nacional e foi espelhado em outros modelos vigentes em países da Europa.

O novo regulamento tem como principais objetivos assegurar os padrões de qualidade na gestão profissional de clubes, conferindo maior transparência a esse processo, além de incentivar investimentos constantes na infraestrutura das instituições. 

Mas quais são, de fato, as mudanças geradas pelo regulamento? Continue lendo este artigo e confira quais são as principais alterações propostas e como elas podem se tornar oportunidades para o ingresso na carreira de esportes!

O que vai mudar

A licença é fundamental para garantir a participação dos clubes em competições continentais da Conmebol, como a Copa Libertadores da América, a Copa Sul-Americana e a Recopa. Já para os campeonatos nacionais, haverá um calendário escalonado.

Uma das principais mudanças apresentadas pelo regulamento de licença de clubes é que será feito um controle de gastos rigoroso: não será mais permitido ao clube gastar mais do que arrecada (fair play financeiro). Essa medida obrigará os clubes a fazerem um controle gerencial mais rígido e detalhista.

Outra grande mudança proposta é a obrigatoriedade de investimento em categorias de base. A partir da resolução, os clubes terão que treinar pelo menos duas categorias juvenis de formação de atletas — sejam elas sub- 15, sub-17 ou sub-20 — e ter treinadores credenciados pela CBF ou com diplomas emitidos por instituições estrangeiras equivalentes.

É imprescindível ainda treinar uma equipe feminina que dispute torneios oficiais ou mesmo fazer parceria com algum clube que tenha uma.

Em relação à estrutura física, é preciso que o clube possua um centro de treinamento para as equipes principal e de base, fornecer cadeiras no estádio para o público e dispor de instalações e equipes de comunicação, marketing e gestão financeira.

O regulamento de licença de clubes e novo modelo de gestão

Com o novo regulamento, haverá uma série de adaptações. Uma delas é modernizar o modelo de gestão dos clubes, que possibilitará que eles se tornem autossustentáveis. Essa mudança — que se aplica desde os clubes menores até os de renome — implicará uma adequação de estatutos que devem seguir padrões nacionais estipulados pela CBF.

Já com o sistema de fair-play, serão necessários balanços financeiros padronizados, pagamento de salários e uma estipulação de gastos. Outra mudança significativa também é que, a partir da resolução, os clubes deixam de responder à justiça comum e passam a ser subordinados a uma instância especializada. Para os clubes, passa a ser obrigatório a criação de órgãos de gestão, além de um organograma, secretarias e registro online.

O período de adaptação varia de acordo com a série do Campeonato Brasileiro na qual o clube compete. Para os times da série A, o prazo é até o ano de 2018, enquanto para a série B, até 2019. Já os clubes da série C terão até 2020 para se adaptarem e os clubes da série D poderão se adequar até o ano de 2021. Além disso, a cada ano, a CBF vai divulgar critérios específicos para cada série do Brasileirão e para outras competições vinculadas à entidade.

Oportunidade para ingresso na carreira dos esportes.

As mudanças na resolução e a necessidade de criação de diversos órgãos e diretorias no interior do organograma dos clubes podem gerar boas oportunidades de emprego. Para adequação e bom funcionamento dos clubes, alguns novos cargos serão considerados obrigatórios, dentre os quais destacam-se:

  • diretor geral (ou cargo semelhante);

  • diretor financeiro;

  • diretor administrativo;

  • diretor de comunicação;

  • diretor de marketing;

  • um responsável pela ouvidoria; e

  • um chefe de segurança.

Os profissionais de educação física e áreas como administração e comunicação interessados em esportes não devem se restringir apenas à formação da graduação. É preciso buscar formação adicional em áreas que podem proporcionar uma melhor colocação no mercado de trabalho.

É o caso da área de marketing ou mesmo uma formação em gestão de empreendimentos esportivos, por exemplo. Para saber um pouco mais sobre o assunto, não perca o próximo tópico! 

Investimento em marketing

Com todas essas mudanças, agora é a hora de os clubes investirem em marketing, pois, além de passar a ser obrigatório nas equipes gestoras, o marketing esportivo é responsável por movimentar bilhões de dólares em todo o mundo. 

Nesse caso, formar uma equipe especializada é importante tanto para criar estratégias de visibilidade e posicionamento da marca quanto para gerar novas oportunidades de negócio e melhorar a receita dos clubes. 

Essa também é uma boa oportunidade para quem está ligado no mundo dos esportes e quer se tornar um gestor esportivo. No entanto, se você ser considerado um bom profissional é preciso muito mais que paixão. Para ser um gestor de marketing esportivo é preciso desenvolver algumas habilidades específicas da comunicação, ter uma boa rede de contatos e conhecer em profundidade o mercado e os concorrentes, assim como em qualquer outro segmento.

Essa é a hora ideal para se profissionalizar, pois o mercado na área de marketing esportivo está em expansão, não só em relação ao futebol, mas em outras modalidades esportivas, principalmente após a Copa do Mundo e os jogos Olímpicos e Paraolímpicos no Brasil. Com o regulamento de licença de clubes, essa necessidade de investir em novas estratégias voltadas para o mercado esportivo aumentou ainda mais a demanda por pessoal capacitado.

Caso você esteja interessado em trabalhar na área, deve procurar por um curso de pós-graduação ou especialização em Marketing Esportivo para desenvolver as competências necessárias para a atuação em clubes. Existem diversos cursos no mercado e você deve escolher aquele que mais se adapta à sua rotina e atende aos seus objetivos profissionais.

Agora que você entendeu um pouco mais a forma como o regulamento de licença para clubes funciona, as suas consequências e quais oportunidades profissionais podem surgir, é interessante se informar mais sobre esse mercado e identificar se as oportunidades se encaixam no seu perfil profissional. 

Se você quer trabalhar com gestão de esportes no país e ainda não sabe por onde começar, fique por dentro de mais informações e novidades relacionadas ao assunto e se inscreva no canal João H Areias – Gestão e Marketing Esportivo.

03