Você já deve saber que a indústria do esporte é um dos negócios mais lucrativos e atraentes deste século. Vale ressaltar que todo esse sucesso só é possível graças as parcerias firmadas com a mídia esportiva.

Ora, sem os meios de comunicação seria quase impossível divulgar os patrocínios, expor os atletas e fazer com que os torcedores vivenciem o sentimento junto com os jogadores. Afinal, a superexposição (muitas vezes em tempo real) é o fator principal para se construir o sentimento de paixão tão importante nesta indústria. 

Quer conhecer mais sobre o assunto e entender o poder da mídia nos esportes? Então, este post é para você! Listamos tudo o que você necessita saber! 

A parceria entre a indústria esportiva e os meios de comunicação

É fácil afirmar que a indústria esportiva não teria tanto sucesso se não fosse a mídia. Como todos sabem, o patrocínio é primordial para que os torcedores, eventos e times consigam se sustentar. 

Por meio dos veículos de comunicação — principalmente a TV — os clubes conseguem negociar melhores contratos e patrocínios. Afinal, quem não quer ver a sua marca exposta no horário nobre de uma grande emissora? 

A influência da mídia esportiva na tomada de decisões

Com a mídia tendo uma enorme influência sobre os patrocínios, financiamentos e divulgação do esporte, ela acabou se tornando uma das principais “tomadores de decisão” quando o assunto são competições. 

Isso ocorre porque, para os clubes e eventos, é vantajoso fechar negócio com grandes mídias esportivas, principalmente em se tratando de TV aberta. No entanto, para que as transmissões ocorram, a imprensa acaba fazendo uma série de exigências. 

Em 2011, por exemplo, a Superliga de Vôlei fechou um acordo com a Globo para a transmissão das semifinais da competição masculina. Para isso, porém, a emissora determinou que quatro jogos deveriam ocorrer em São Paulo. 

E não é só no Brasil que isso acontece. Em 2008, os organizadores das Olimpíadas de Pequim precisaram mudar o horário das competições finais de natação para o período da manhã (geralmente a modalidade acontece à noite). Isso foi necessário para atender às exigências impostas pelas emissoras de TV que exibiam os jogos. 

A importância do cuidado com a informação 

Como vocês viram, a parceria entre a mídia e os esportes brasileiros é necessária para clubes e jogadores se manterem. Aliás, ela também é muito importante para nutrir a paixão pela torcida: são os veículos os responsáveis por levar informações interessantes aos torcedores, além de transmitirem todo o sentimento do atleta. 

Por meio das coberturas esportivas, podemos acompanhar de perto o sufoco do atleta que ficou em segundo lugar, a decepção do time que perdeu aos 45 minutos do segundo tempo, e a alegria do jogador que bateu seu recorde de gols. 

No entanto, é preciso cautela. Os profissionais que atuam na mídia esportiva devem ter noção da responsabilidade que carregam para evitar situações desagradáveis e até mesmo processos. 

Em 2016, um áudio vazado do volante brasileiro Felipe Melo movimentou as redes. Segundo o jogador, a imprensa brasileira foi a responsável por ele ter ficado fora da seleção, já que não participava de programas e nem “bajulava” jornalistas. 

Este ano, ele voltou a atacar à imprensa dizendo que a mídia “ganha dinheiro para falar mal dos outros“. Para evitar situações como essa, é muito importante ter cuidado com o que será divulgado e sempre checar a veracidade da informação. Além, é claro, de conhecer muito bem sobre o universo do esporte. 

Agora que você já entendeu sobre o poder da mídia esportiva, saiba o que faz (e qual é a importância) do profissional de gestão esportiva!

01

03