“Sou apaixonado por esportes, como todo brasileiro. Do futebol ao vôlei, passando pelo tênis, basquete, natação, até o futebol americano. O legal disso tudo é que não existem limites para a paixão por esportes. E, se para ter sucesso na carreira é preciso amar o que se faz, meu sonho é encarar o esporte como trabalho.”

É bastante provável que você tenha se identificado com a afirmação acima, afinal, ela é realidade de muitos amantes de esportes. E mesmo quem não é um atleta profissional pode se beneficiar desse interesse, pois a profissionalização dos esportes no Brasil vem avançando a passos largo, batendo recordes e metas.

Aliado a isso, o grande diferencial do mundo dos esportes é que tudo gira em torno de uma indústria esportiva envolvendo craques, superatletas, gestores de clubes e equipes, sempre objetivando superar seus limites — nas quadras, campos, piscinas, e no mercado esportivo.

No entanto, como em tudo na vida, não basta sonhar. É preciso se profissionalizar, desde o momento do planejamento da carreira, até a fase de estudos, especialização e o momento de arregaçar as mangas e colocar mãos à obra.

Tendo isso em mente, se a sua paixão é grande o suficiente para assumir esporte como trabalho, esse post é para você. Confira suas possibilidades.

Cursos de especialização na área de esportes

1. Gestão esportiva

A evolução das técnicas de treinamento nivela atletas de grandes clubes no mesmo patamar. Sendo assim, afinal, qual é a diferença para que alguns atletas e clubes se destaquem mais que outros? Uma resposta apressada diria que é o dinheiro investido o responsável pelo sucesso de grandes organizações do esporte.

Sem dúvidas, dispor de recursos financeiros é fundamental. Mas de nada adianta investimentos milionários, sem uma excelente gestão esportiva. Por isso, atletas, empresários e clubes vêm se profissionalizando em negociação, marketing, estudos de mercado e comportamento do consumidor.

Sim, o esporte de hoje continua com os olhares voltados para os fãs, mas, principalmente, para seus consumidores. Você, por exemplo, pode ser um fã sem nunca ter comprado produtos de um clube.

Ou seja, os fãs oferecem suporte aos clubes com ingressos e audiência nos canais de comunicação, mas os consumidores são os mais visados pelas marcas esportivas, e os que mais contribuem para a geração de riqueza e investimentos em contratações.

Nesse sentido, o profissional de gestão esportiva atua em clubes, ginásios, associações, federações, centros de lazer e recreação, ou ainda em estádios públicos.

E como não há limites para o esporte, esse profissional pode atuar diretamente com empresas na promoção ou no patrocínio de eventos esportivos como estratégia de reforço da marca.

2. Medicina esportiva

A evolução do esporte é resultado de vários fatores, tais como pesquisas, análises de dados estatísticos, atuação de equipes conjuntas especializadas em nutrição, ergonomia, anatomia e outros aspectos.

E a medicina esportiva contribuiu muito para essa evolução. Não apenas tratando atletas de maneira curativa, mas prevenindo lesões e excessos de carga de trabalho.

Para isso, foram necessários anos de estudos e pesquisas, envolvendo fisioterapeutas, médicos, e vários outros profissionais, estudando a anatomia dos atletas e preparando cargas e treinamentos específicos para cada tipo de físico e esforço necessários.

Assim, equipamentos de última geração e profissionais especializados nas melhores universidades do mundo atuam juntos nessa tarefa de continuar provendo a evolução do homem e do esporte.

3. Fisioterapia

Já imaginou encarar dois, três anos de preparação para uma Olimpíada, e sofrer uma lesão faltando um ano para o evento? Além da frustração pela perspectiva de não poder participar do principal evento mundial em sua especialidade, todo o tempo e recursos investidos em seus treinamentos parecerão ter sido em vão.

Mas nada é em vão quando se tem um trabalho de fisioterapia de alto nível. Além de recuperar atletas com lesões de diversos tipos, esse profissional atua na prevenção de futuras contusões e desgaste físico excessivo, para que o atleta mantenha uma regularidade de participação nos principais eventos esportivos.

De outro modo, deixar de participar de um evento é como fechar as portas da vitrine de uma loja. Consequentemente, consumidores que não podem ver os produtos não podem comprar e finalmente, sem vendas, não há patrocínio, e sem patrocínio ninguém consegue viver do esporte.

4. Jornalismo

Essa área contribui muito para o sucesso de um atleta, clube ou organização esportiva, cobrindo os principais eventos e destacando os melhores desempenhos.

Fato é que o jornalismo vem se especializando de maneira contínua nos assuntos que cobre. Por isso, o jornalista esportivo deve ser profundo conhecedor do assunto, estando a par das regras e daquilo que acontece nas diversas modalidades de esportes, além de saber analisar estatísticas, estratégias e perfis comportamentais.

Atividade delicada, muitas vezes um deslize será visto, ouvido ou lido por milhares ou milhões de pessoas, podendo até mesmo não ser perdoado. 

Mas quando consegue fazer o que ama, esse profissional tem a oportunidade de acompanhar suas paixões, inclusive, conhecendo diversos lugares e países. Nada mal, para quem ama o esporte, ter a chance de fazer o que gosta e ser remunerado por isso.

5. Psicologia Esportiva

Já imaginou um jovem com idade entre 20 e 22 anos, assinando um contrato para receber salários de mais de 1 milhão de euros por mês?

Não, nós não conseguimos sequer imaginar a sensação. Ainda assim, jovens sem a devida maturidade e muitas vezes sem estrutura familiar, de um momento para outro, se encontram nessa situação.

Apesar de ser o sonho de muitos e realidade de poucos, não é fácil manter a cabeça em ordem em uma situação dessas. Da noite para o dia, você se tornou um milionário! Você sai para jantar, o restaurante não lhe cobra, você é observado por todos, e alguns mais corajosos vem lhe pedir um autógrafo.

Da mesma forma, não é possível passear por um shopping sem ser assediado pelos fãs. Em outras palavras, mesmo sendo a realização de um sonho, o mundo de um jovem profissional alçado a essa condição, vira de cabeça para baixo.

Na condição de adeptos do esporte, nem sempre entendemos por exemplo, os motivos que impedem que um atleta atue no mesmo nível por duas vezes seguidas. Isso porque não estamos na sua realidade, nem sabemos os problemas e conflitos que ele vem enfrentando.

E é justamente nesse contexto que o psicólogo esportivo atua: na preparação e adequação dos atletas para manterem o equilíbrio tanto no que se refere ao sucesso repentino, quanto em situações de frustração, como no caso de uma lesão que o mantenha por algum tempo fora de atividade.

Em suma, o psicólogo trabalha no fortalecimento da mente dos atletas para que se mantenham sóbrios e serenos diante dos extremos da fama e da solidão.

6. Marketing Esportivo

Uma vez que o esporte é um negócio, o marketing se aplica perfeitamente a ele. E mais do que em qualquer outro negócio, o marketing impulsiona carreiras, instituições, clubes, empresas e gera novos atletas, craques e referências no mundo esportivo.

Sobretudo, o Marketing Esportivo transformou completamente o mundo dos esportes, se beneficiando e crescendo junto com essa evolução. Assim, para que o universo esportivo continue sendo o que se tornou e siga evoluindo, milhares de profissionais se dedicam todos os dias a divulgar, comunicar, desenvolver estratégias, produtos, marcas e processos de mídia convencional e digital.

É importante ressaltar ainda que o marketing esportivo se diferencia do marketing convencional, pelas especificidades de carreiras, patrocinadores, produtos e marcas envolvidos.

Por fim, para se tornar um profissional de marketing esportivo, o melhor caminho é buscar uma formação específica, que o capacitará a atuar diretamente nesse segmento, desde a primeira aula até o início da carreira, por meio de um estágio ou contratação direta.

Ao iniciar um curso de gestão e marketing esportivo, desde os primeiros passos, sua paixão encontrará combustível suficiente para longos anos de realizações, sucesso, e muito mais paixão.

Viu como o esporte como trabalho pode levar você aos campos, quadras e piscinas, sem a necessidade de ser um superatleta? O que você acha disso? Quer mais detalhes sobre as possibilidades mostradas neste artigo? Faça contato conosco e confira as informações que temos a lhe oferecer!

 

01

03